top of page
  • Foto do escritorRonaldo Dalbianco

O Senhor das Moscas e a natureza dos meninos...


“Mas sem as regras a gente não tem nada!”, disse um dos meninos a todos os outros garotos perdidos em uma ilha deserta.


“Senhor das Moscas” explora o lado escuro da humanidade, a selvageria que sustenta até os seres humanos mais civilizados. Ou nem tanto assim…


A natureza que cada um tem dentro de si é o que dita o comportamento adotado em uma “civilização sem leis”. A disputa pelo poder, o desprezo pelo comportamento civilizado, o medo do desconhecido e a violência utilizada para impor a obediência.


O mais “legal” é que são todos crianças ou adolescentes (no máximo 13 anos, acredito).


Outro dia li sobre um experimento onde colocavam 10 meninos e 10 meninas para se virarem durante alguns dias em uma casa, sozinhos, supervisionados por câmeras eh claro.


Na casa das meninas, não houve nenhum atrito mais grave e todas toparam obedecer regras óbvias de bom comportamento e viveram razoavelmente bem.


Entre os meninos, porém, houve a necessidade de intervenção pelos adultos por ocasião de brigas feias. Eles, ainda, não conseguiam criar uma rotina de regras, de trabalho, e nem mesmo cuidar da própria higiene.


Meninos e meninas são diferentes, todos nós sabemos que sim, isso não é nenhuma novidade. Mas é curioso… fico pensando se essa história tivesse sido escrita com meninas. Dezenas delas presas em uma ilha deserta. Duvido muito que chegariam próximo da barbaridade que vemos em “Senhor das Moscas”


A vida imita a arte ou a arte imita a vida? Se vc ler o livro, perceberá que nada do que acontece é forçado. Nós sabemos que meninos são capazes daquilo tudo ali. Claro que ha sempre um cérebro maquiavélico que acaba comandando uma manada cheia de garotos que certamente não são tão ruins assim como chefe deles. Mas nenhum se atreve a enfrentá-lo e, por medo ou comodidade, deixam-se revelar verdadeiros monstrinhos.


Eu vi o filme também, de 1990. Gostei muito, mas o livro, é claro, é muito melhor.


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page